A grande funcionalidade dos drones conseguiu que fossem incorporados nas Forças e Organismos de Segurança do Estado. Graças ao seu alto desempenho, como as suas câmaras térmicas, altifalantes ou holofotes, os drones da polícia tornaram-se o aliado perfeito para controlar e monitorizar, entre outros, as atividades do crime organizado.  

Os drones não só ajudam a combater as infrações, mas também prestam apoio em diferentes atividades: multidões, resgate de pessoas, controlo rodoviário ou atividades de emergência.

Por outro lado, os drones também são usados com o objetivo de dar apoio a todos os grupos que dele necessitem, como, por exemplo, as equipas responsáveis pela extinção dos incêndios, ou as forças policiais que tiram fotografias do ar para colocar um facto específico, ou conhecer a orografia do terreno antes de uma das suas implantações.

 

Quais são os diferentes usos que os drones têm para a Polícia?

Os drones para uso policial tornaram-se um dos aliados perfeitos para as Forças e Corpos de Segurança do Estado. Em seguida, vamos expor algumas das principais razões pelas quais esta ponta ou tecnologia se tornou o aliado perfeito para as instituições policiais do nosso país. 

  1. A realizar missões de vigilância. A Guarda Civil utiliza drones, normalmente, para realizar missões de ordem pública, segurança da cidade, controlo de tráfego, vigilância fronteiriça, inteligência e logística, entre muitas outras. Com aliados como os drones, realizam as suas atividades de forma mais eficaz, rápida e segura, para além de conseguirem grandes poupanças económicas. 
  2. Controlar grandes concentrações de massas. Por outro lado, os drones da polícia são o companheiro perfeito no momento em que se trata de garantir a segurança dentro de grandes eventos ou concentrações populares em que se torna necessário realizar o controlo em massa, como em jogos de futebol de alto risco, concertos ou multidões.
  3. Operações especiais. Para realizar certos tipos de operações, o  Corpo Nacional de Polícia  precisava de usar helicópteros. No entanto, com a implementação de drones policiais, as Forças e Organismos de Segurança do Estado poderão realizar certas atividades de forma muito mais rápida, económica e discreta.
  4. Tarefas de busca e salvamento. Por outro lado, os drones têm sido de grande ajuda para levar a cabo ações de busca e salvamento de pessoas para a Guarda Civil e a Polícia Nacional. 

 

Porque é que a polícia utiliza drones?

Em geral, a ação policial com drones tornou-se muito generalizada dentro das Forças e Organismos de Segurança do Estado, oferecendo, a estes, uma grande versatilidade. 

    1. Tarefas de ordem pública. Normalmente, o Governo Civil usa drones em tarefas de ordem pública, investigação, salvamento, emergências, controlo ambiental, logística ou inteligência, entre muitos outros.
    2. Garanta a segurança do cidadão. Todas as ações que foram mencionadas, no final, procuram a garantia da segurança dos cidadãos. 
    3. Monitorização do tráfego rodoviário. O controlo e vigilância do tráfego na estrada é uma das principais funções que os drones possuem atualmente para a polícia. Graças a estes, o departamento de trânsito da Guarda Civil consegue manter a ordem na estrada e reduzir o número de acidentes respeitando as regras da estrada. 
    4. Controlo fronteiriço e supervisão. Graças à utilidade dos drones, a Guarda Civil é capaz de melhorar um bom controlo e supervisão de forma a garantir o bom funcionamento das fronteiras espanholas, por exemplo.

 

Quais são as vantagens que os drones trazem à Polícia?

Em seguida, dizemos-lhe as vantagens que os drones têm para a Polícia Nacional, para as quais se tornaram uma ferramenta de trabalho indispensável para garantir a segurança pública completa e absoluta.

  1. Maior eficiência no trabalho. A eficiência tornou-se um fator chave, uma vez que os drones têm algumas funcionalidades que anteriormente não estavam tão facilmente disponíveis, como câmaras térmicas ou zoom de alta ampliação. Ambos ajudam as forças policiais em inúmeros cenários dia após dia. 
  2. Diminuição do risco. Ao incorporar este tipo de tecnologia, a segurança no trabalho é aumentada, uma vez que, em muitas ocasiões, os membros da força policial não são obrigados a expor-se aos diferentes riscos iminentes que existem durante o seu desempenho profissional. Deste modo, os agentes evitarão pôr em perigo a sua vida durante o seu trabalho e, consequentemente, há uma diminuição considerável dos riscos e um aumento da segurança. 
  3. Maior capacidade de análise. Ao ter uma dimensão reduzida, a capacidade de análise aumenta, uma vez que é possível aceder a numerosos locais e obter muita informação que para os operadores seria completamente impossível de alcançar. 

 

Face ao que precede, os drones da polícia requerem formação altamente especializada e qualificada, tendo de preparar todos os agentes pertencentes às Forças e Organismos de Segurança do Estado para trabalharem com este tipo de ferramentas e tecnologia. 

Dado o elevado nível de responsabilidade e envolvimento exigidos pelas suas funções, é necessário que o agente esteja ciente antes de realizar algumas ações por si próprio. Os regulamentos em vigor relativos à utilização de drones têm causado um aumento constante da sua procura e da sua utilização particular, pelo que estes podem ser adquiridos sem qualquer restrição, desde que cumpram regulamentos legais claros. 

Além disso, é importante incentivar a segurança e o bom uso desta tecnologia, uma vez que, por exemplo, os drones da polícia atingem os 90 quilómetros por hora e um alcance de até 20 minutos. Quanto à altura em que operam, esta é limitada dependendo da sua capacidade e do tipo de drone.